sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Junte a fome com a vontade de viajar

Nesta sexta da culinária, vamos falar de quitute muito brasileiro o Acarajé.



Símbolo maior da culinária baiana, o acarajé é uma iguaria vendida nas ruas de Salvador desde o começo do século passado. O bolinho foi definido como 'pão de comer' pelas negras escravas alforriadas, que passaram a comercializar o produto e outros quitutes em tabuleiros como forma de sobrevivência, logo após o fim da escravidão.



A massa desse bolinho é feita de feijão-fradinho, cebola e sal, frita em azeite-de-dendê. Sempre servido com muita pimenta e recheado com camarão seco, vatapá, caruru ou salada.



O bom acarajé é bem carregado de pimenta e temperos, e a maneira correta de se preparar é um segredo das Baianas.



É tradição, de quem visita a Bahia experimentar um Acarajé feito no tabuleiro da baiana (nome dado ao recipiente usado para expor os alimentos), não tem nada igual.



Dica: Na hora de escolher seu Acarajé, o vendedor vai perguntar se quer frio ou quente, isso não tem nada a ver com temperatura, frio é com pouca pimenta já o quente vem carregado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário